Textos & Imagens 55



About John Ford…, de Lindsay Anderson

«Sometimes you’d like to kill the son of a bitch.
But, God love him, he’s a great man.»

Este é um daqueles casos em que o título não serve para enganar o leitor incauto: “About John Ford…”, com a belíssima capa onde encontramos o Capt. Nathan Cutting Brittles interpretado por John Wayne numa das suas criações inigualáveis para John Ford [She Wore A Yellow Ribbon / Os Dominadores, 1949)], diz tudo; e mais não seria preciso para deixar qualquer fordmaníaco com água na boca.
Escrito por Lindsay Anderson, um dos principais nomes do Free Cinema britânico, apresenta uma abordagem bastante pessoal à obra do realizador norte-americano. Tal é feito intercalando a análise aos filmes de John Ford ao longo da sua carreira, isto sem ceder aos lugares comuns habituais, com o percurso biográfico do realizador e os vários encontros que ambos mantiveram ao longo da vida, depois de se terem conhecido numa visita de Anderson à rodagem de The Quiet Man [O Homem Tranquilo, 1952] em Dublin, corria o ano de 1950. Na altura o futuro realizador dava os primeiros passos no cinema e como tantos outros que apareceram nessa década – talvez os mais conhecidos sejam os que vieram do outro lado da Mancha – conciliava a prática com a crítica cinematográfica. A visita à rodagem do filme tinha como objectivo escrever um artigo para uma publicação de cinema, artigo esse que mais não era do que um pretexto para conhecer um dos seus heróis, cujos filmes admirava desde sempre. O próprio livro, publicado em 1981, parte de um projecto dessa altura sobre a obra de Ford abandonado por falta de fundos. Esse texto inicial foi aproveitado como base e o resultado acabou por ser mais rico, uma vez que acabou por abarcar toda a obra de Ford, incluindo a referência a filmes que não eram tão acessíveis nos anos 1950 ou estavam pouco frescos na memória de Anderson à época.
Mas não é apenas esta abordagem bastante pessoal sobre a obra de John Ford, centrada em determinados títulos chave e deixando de parte muitos outros, que são mencionados quase como notas de rodapé, que torna “About John Ford…” uma fantástica viagem ao universo fordiano, universo criado por alguém que atravessou um período fundamental de Hollywood, do pós-Griffith ao período pré-Nova Hollywood. O que nos marca mais em “About John Ford…” são os vários relatos dos encontros entre os dois, de 1950 a 1973, poucas semanas antes da morte de Ford, sempre com um lado terno da parte de Anderson, que mesmo no último encontro continua a ver Ford através do olhar de um miúdo perante o seu herói, herói esse que não perde uma oportunidade para sublinhar a amizade dos dois.
Para o final está reservada uma pequena arca de tesouros para os fãs de Ford, numa obra já recheada por inúmeras fotos (385, diz-nos a contracapa!) que atravessam toda a obra do realizador. Um conjunto de relatos de alguns dos membros da ‘família Ford’, de actores a argumentistas que trabalharam com ele, em entrevistas ou pequenos depoimentos e cartas escritas a Lindsay Anderson. Todos ajudam a cimentar o mito fordiano, tão rico em contradições como qualquer outro mito que se preze. E a frase que serve de epigrafe a este texto, da autoria de Andy Devine, um daqueles eternos secundários da Hollywood clássica que trabalhou com Ford em Stagecoach (Cavalgada Heróica, 1939) ou The Man Who Shot Liberty Valance (O Homem Que Matou Liberty Valance, 1962), por exemplo, espelha bem a razão por que Ford era amado por tantos com quem trabalhou ao longo da sua longa carreira.
Para quem gosta do cinema de John Ford este é um livro obrigatório; mesmo que facilmente se acabe por discordar do autor. E discordamos muitas vezes sem nos incomodarmos com isso, porque Anderson tem a vantagem de tecer bem os seus argumentos, como quando, por exemplo, explica tintim por tintim porque não considera um filme como The Searchers (A Desaparecida, 1956) uma obra-prima.

Ler, para amar (ainda) mais os filmes de John Ford.

Pedro Miguel Fernandes

About John Ford / Lindsay Anderson. Londres, McGraw-Hill, cop. 1983, 256 p.
Tipologia documental: livro
Cota: 81 FORD


Scroll to Top