Projetor de 28mm Pathé Kok A

Projetor de 28mm
Pathé Kok A
Pierre Victor Continsouza para Compagnie générale de phonographes, cinématographes et appareils de précision (Pathé Frères)
França, 1913
Col. CP-MC | PF590/000

Projetor de formato de película 28mm, suporte não inflamável (ao contrário da película de 35 mm, em nitrato, usada à época) é composto por três perfurações à esquerda e uma à direita da imagem. É constituído por uma estrutura central de uma liga metálica fundida, na qual todo o mecanismo é fixado, que assenta numa base de madeira onde encaixa a tampa de metal (litografado no metal em cada um dos lados: “KOK” e “Pathé frères” com os respetivos galos, símbolos Pathé). Este modelo está equipado com um dínamo que ao rodar a manivela para a projeção (avanço da película), gera corrente suficiente para alimentar uma lâmpada de 6V, dotando-o de autonomia elétrica. A manivela permite ainda rebobinar o filme depois de projetado. Capacidade da bobina: 120m. Tem o número de fabrico 3824.

Charles Pathé e o seu irmão Émile fundaram a Société Pathé Frères, em setembro de 1896. Até àquela data comercializavam fonógrafos e cilindros de cera, mas o aparecimento do Cinématographe Lumière mudou o rumo da empresa. Um ano depois, a empresa tornou-se a Compagnie Générale de Cinématographes, Phonographes et Pellicules (Anciens Établissements Pathé Frères), com os dois irmãos como diretores: Émile para a área dos fonógrafos e Charles para o cinematógrafo, industrializando o cinema. Com o virar do século, a junção com a empresa francesa de aparelhos de precisão (ex-estabelecimentos René Bünzli e Victor Continsouza) deu origem à Compagnie générale de phonographes, cinématographes et appareils de précision. Por volta de 1910, a Pathé Frères era provavelmente a maior empresa de entretenimento do mundo. Tinha indústrias cinematográficas, escritórios, instalações de produção e comercialização em todo o mundo, incluindo a Rússia e os EUA. O projetor Pathé Kok, lançado em 1912, marca o início da Pathé no campo dos pequenos formatos e do cinema em casa, com o slogan “Le Cinéma chez soi”. Diversos acessórios, coladeiras e filmes não inflamáveis, para adquirir ou alugar, eram publicitados nos seus catálogos e permitiam o entretenimento ideal para as famílias.


Scroll to Top