Os Lobos de Rino Lupo


Disponível até 26 de março de 2021


OS LOBOS
de Rino Lupo
com José Soveral, Branca de Oliveira, Joaquim Almada, Sarah Cunha
Portugal, 1923 – 83 min
mudo, intertítulos em português | M/12

Música original de António Tomás de Lima, interpretada ao piano por Nicholas McNair

“(…) OS LOBOS, eventualmente um filme influenciado pela escola nórdica, é a obra onde se desenham as matrizes do que, no futuro, seriam as constantes do melhor cinema português: a criação de uma poética à margem de um argumento ou até contra ele; a fundamentação de uma figuração plástica como contorno de uma figuração dramática; a colagem de citações — ou memórias — dispersas, aglutinando um imaginário que não se reconhece no que é mas no que flui. Se há uma ‘escola portuguesa’, como alguns defendem, no nosso cinema, os fundamentos dela estão neste filme esdrúxulo, com lugar seguro em qualquer antologia do insólito que se preze ou se queira organizar. Obra ‘flamejante’, como se diz do gótico final, situada entre o hiper-realismo e o surrealismo, no vértice de uma estética do insólito que raras vezes, no nosso imaginário, terá tido tanta força e tanta singularidade.” (João Bénard da Costa)

A partitura original escrita por António Tomás de Lima para o filme, composta c.1925 e depositada na Biblioteca Nacional de Portugal, foi transcrita e editada por Manuel Deniz Silva e interpretada ao piano por Nicholas McNair. A gravação teve lugar em 22 e 23 de agosto de 2016, no auditório da Escola Superior de Música de Lisboa, sob a direção de João Ludovice.

Este filme foi digitalizado e editado em DVD pela Cinemateca e pode ser adquirido na Livraria Linha de Sombra.

Consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui.


Scroll to Top