Lanterna Mágica

Lanterna Mágica
Improved Phantasmagoria Lantern
Carpenter & Westley
Londres, 1821-1833
Col. CP-MC | PC399
 
 
A lanterna mágica Improved Phantasmagoria Lantern é feita em estanho, com uma chaminé alta dobrada na sua extremidade, para proteger a lâmpada de correntes de ar e impedir que a luz escape. Tem um tubo ajustável com lente para maior facilidade na focagem, condensador duplo para dar mais definição às imagens produzidas, objetiva e uma lâmpada de Argand. Apresenta-se numa caixa de madeira com instruções de uso. O vidro aqui exibido pertence a uma das várias séries de Copper-Plate Sliders, Mammalia nº. 9 (PC208), comercializados por Philip Carpenter a partir de 1823.

A partir de 1821, Carpenter comercializa uma lanterna mágica destinada ao consumo doméstico. Dá-lhe o apelativo nome de Improved Phantasmagoria Lantern, relembrando os famosos espetáculos de Phantasmogoria do final do século XVIII de Robertson e outros, mas não o formato da lanterna. O nome Phantasmagoria é associado a um modo de projeção e não a um tipo de lanterna, que utiliza múltiplas lanternas em grande escala. No folheto de instruções que acompanha a lanterna é referido que é possível, graças a uma pega situada na parte de trás, movê-la por trás de uma tela para produzir efeitos fantasmagóricos em movimento e que poderia ser usada para pequenos espetáculos domésticos. A melhoria no sistema ótico, a simplicidade de uso e o baixo custo de produção contribuiu para a fidelização de uma clientela não profissional e de outros públicos, como professores, oradores ou cientistas, sendo essa a razão principal para Carpenter se concentrar mais em conteúdos educacionais, com os seus Copper-Plate Sliders, enquanto outras empresas se dedicaram a temas mais populares, fantásticos ou espetaculares.


Scroll to Top