A Rosa do Adro de Georges Pallu


Disponível até 12 de março de 2021

A ROSA DO ADRO
de Georges Pallu
com Maria de Oliveira, Erico Braga, Carlos Santos, Etelvina Serra, Duarte Silva
Portugal, 1919 – 76 min
mudo, intertítulos em francês com legendas em português | M/6

Partitura reconstruída de Armando Leça interpretada pelos solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa: José Pereira, Joana Dias (violinos), Joana Nunes (viola), Catarina Gonçalves (violoncelo), Vladimir Kouznetsov (contrabaixo), Francisco Sassetti (piano).

A ROSA DO ADRO, realizada por Georges Pallu em 1919, foi a primeira longa-metragem de ficção da Invicta Film (Porto). Transpondo o romance oitocentista de Manuel Maria Rodrigues para os inícios do século XX, o filme conta a história de um triângulo amoroso interpretado por Maria Oliveira, Carlos Santos e Erico Braga. Com um argumento de “carácter onírico e singular”, a omnipresença da natureza como pano de fundo da ação e personagens com “um certo lado inocentemente perverso ou perversamente inocente” (João Bénard da Costa), A ROSA DO ADRO marca o início da história do cinema português.

A partitura original do filme composta por Armando Leça (1891-1977) foi transcrita e editada por Bárbara Carvalho (CESEM), adaptada por Bárbara Carvalho e Manuel Deniz Silva (INET-md), e interpretada pelos Solistas da Metropolitana, no âmbito de uma parceria entre a Cinemateca, a AMEC | Metropolitana e o INET-md.

A partitura de Armando Leça para o filme A ROSA DO ADRO apresenta-se como uma “estilização de cantos e bailados” do Douro-Litoral, inserindo-se assim no projeto iniciado pela Invicta Film de construção de um cinema “tipicamente português”. O trabalho de reconstituição da partitura desenvolvido pelo INET-md foi efetuado a partir da única fonte localizada, uma cópia manuscrita realizada em 1919 por José Gomes da Silva, músico da banda da GNR, e que se encontra conservada no arquivo de música escrita da RDP. Esta partitura, dividida em cinco partes, corresponde à versão original de A ROSA DO ADRO, que contava com cerca de 2.000 metros de filme. Depois de transcrita e editada, a partitura foi adaptada à única cópia existente do filme, dividida em quatro partes e significativamente mais curta (1.728 metros).

Este filme foi digitalizado e editado em DVD pela Cinemateca e pode ser adquirido na Livraria Linha de Sombra.

Consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui.

Consulte o DOSSIER DO FILME aqui.


Scroll to Top